quarta-feira, 25 de abril de 2018

Garibaldi destaca no Senado a importância do Sebo Vermelho para a cultura potiguar


A editora Sebo Vermelho e os seus mais de 500 livros lançados em quase 33 anos de existência foram o tema de pronunciamento feito pelo senador Garibaldi Filho na noite desta terça-feira (24), no Plenário do Senado Federal. Ele destacou a importância do trabalho desenvolvido pelo editor e sebista Abimael Silva – que completa 55 anos em outubro – para a preservação da memória e a difusão da cultura potiguar.
Em 1985, Abimael desistiu da vida de bancário e comerciário e criou o Sebo Vermelho. Único sebista editor brasileiro, ele resgata a história potiguar sem receber incentivos do Poder Público. Filho do carpinteiro Severino Hercílio e da dona de casa artesã Maria Rodrigues, Abimael e sua cria, o Sebo Vermelho, merecem todas as homenagens dos que se interessam pela cultura potiguar e brasileira”, afirmou Garibaldi.
O senador destacou que os livros do Sebo Vermelho contam histórias como a tese do historiador Lenine Pinto, de que o descobrimento do Brasil ocorreu em Cabo de São Roque, em Touros, no litoral potiguar, e não em Porto Seguro, na Bahia. Garibaldi também falou de uma publicação que reúne as mais de 60 cartas que Carlos Drummond de Andrade escreveu à poetisa potiguar Zila Mamede e sobre o livro “Lampião em Mossoró”, do historiador Raimundo Nonato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário